Áreas alagadas

Há evidências históricas de que muitas áreas da baixada fluminense eram alagadas. O acervo da REGUA tem imagens mostrando ricas florestas paludosas com espécies como a Tabebuia cassinoides associados aos solos hidromórficos. No ano de 1980, estas florestas foram cortadas e as terras drenadas, dando espaço para lavouras e formação de pastos. Este hábitat foi totalmente perdido ao longo do tempo, sendo necessário a sua recuperação para integrar o mosaico de micro hábitats que compõe a Mata Atlântica.

O processo de recuperação iniciou-se em 2005, com o apoio financeiro do Wetland Trust UK num estudo de topografia da região, e a posterior terraplanagem para a criação de uma grande área que seria inundada, incentivando a biodiversidade da região, bem como a utilização das bordas dessas áreas alagadas para o plantio da árvore Tabebuia cassinoides.

O resultado foi imediato e o alunos do departamento de Limnologia da UERJ, comandado pelo Prof. Tim Moulton, têm acompanhado a evolução desta transformação. Rapidamente, os 12ha de espelho d’água foram colonizados por plantas aquáticas e animais invertebrados, sendo que jacarés de papo amarelo Caiman latirostris foram avistados no ano seguinte. Em 2012, um casal de capivaras Hydrochaeris hydrochaeris também foi avistado numa ilha do alagado, e desde então as capivaras vem se reproduzindo, ocupando todo o espaço bem como expandindo território fora da reserva.

Em 2012/2013, o Chester Zoo apoiou a reprodução e plantio da espécie Tabebuia cassinoides característica da floresta paludosa, associada à rica flora epifítica de áreas da Mata Atlântica.

Os estudos de Limnologia tem revelado a extraordinária saúde e estabilidade bioquímica destes alagados, que geraram muitas publicações e que continuam sendo estudados.

wetland-020723-008-alan-martin-420x300
A Fazenda São José em Julho de 2002, antes da criação dos alagados (© Alan Martin)
wetland-050702-049-alan-martin-420x300
Julho de 2005 – os diques de terra são construídos e os lagos inundados (© Alan Martin)
wetland-060223-011-alan-martin-420x300
Fevereiro de 2006 – a vegetação pioneira se estabelece no local (© Alan Martin)
wetland-080125-015-alan-martin-420x300
Janeiro de 2008 – a taboa se estabelece no local (© Alan Martin)