All posts by admin

Pato de crista visto nos alagados – novo avistamento na REGUA

comb-duck_mg_5409-marcos-felipe-420x300
pato de crista, nos alagados, 23 de Julho (© Marcos Felipe)

O Biólogo Marcos Felipe Pinto tem administrado seu curso “Selvagem em foco” desde 2012 na RPPN REGUA. Tudo começou porque ele viu uma oportunidade de oferecer cursos direcionados a professionais e biólogos precisando de técnicas de campo na identificação de fauna. Os cursos ocorrem aos finais de semana, e o pessoal não tem descanso!! Geralmente cada curso tem 20 participantes vindos de todo o Brasil e até de países vizinhos.

No domingo passado, 23 de Julho, caminhando pelos alagados, Marcos avistou um pato diferente e com os seus binóculos identificou o pato de crista Sarkidiornis sylvicola. Três femeas estavam nadando as 10.00hs junto a marreca-pé-vermelha Amazonetta brasiliensis, irerê Dendrocygna viduata e frango d’agua Gallinula galeata. Isto foi o primeiro avistamento e estamos orgulhosos de inclui-lo na nossa lista de aves da REGUA.

Caça na REGUA

hunting-20160704-wA0002_1-regua
Uma Paca Cuniculus paca morta encontrada na REGUA (© REGUA)
hunting-p1010438-regua
Um Tatu-Galinha Dasypus novemcinctus morto a tiro encontrado por um dos nossos guarda-parques (© REGUA)

Embora a caça tenha sido severamente reduzida na REGUA, como resultado do patrulhamento pelos nossos guarda-florestais, ainda ocorre esporadicamente.
A Caça na região é cada vez menos popular – os caçadores mais velhos estão desistindo e os mais jovens não estão tão motivados por este “esporte” e, como resultado do desenvolvimento do nosso sistema de trilhas e uma década de educação ambiental, esta ação perniciosa tem sido em grande parte eliminada e em geral a população de animais dentro da REGUA aumentou. Armadilhas fotográficas com câmera de vídeo flagraram a Onça Parda Puma concolor e bandos de queixadas Pecari tajacu forrageando nas trilhas.

Habitualmente, os caçadores têm respeitado os limites da REGUA, e tiros à noite são uma coisa do passado, mas muito ocasionalmente vemos evidência de algumas armadilhas e tocaias. Como a área da REGUA aumenta de tamanho, os guarda-parques são sobrecarregados de forma a cobrir toda a área, e foi bastante desconcertante que um membro da comunidade local tenha recebido esta fotografia de uma Paca Paca cuniculus morta em uma área remota pertencente à REGUA.

É doloroso o abate a sangue frio deste animal e nos lembra que há aqueles que não respeitam os esforços da REGUA para impedir este tipo de matança sem sentido. Recorda-nos que, embora a biodiversidade esteja se recuperando de dias distantes, existem pessoas por aí que não compartilham nossa paixão e não se importam. Isto deveria nos encorajar a manter o rumo e usar nossas ‘armas’: que estamos ganhando terreno, que as florestas estão se tornando mais saudáveis e que o nosso objetivo merece todo o esforço.

Um dos nossos parceiros do Reino Unido, o World Land Trust, está fazendo campanha para levantar £40.000 de modo a permitir que a REGUA compre uma área de floresta no vale do Guapiaçu que se encontra sob a ameaça de caça, bem como de urbanização descontrolada. Ao acrescentar esta área de floresta à reserva, seremos capazes de patrulhar a floresta e dissuadir os caçadores. Por favor, ajudem, fazendo uma doação para o World Land Trust patrocinando o Olympic Forest Reserve Appeal. Obrigado.